Odontopediatria: Ranger de dentes na infância

O hábito de ranger os dentes em crianças, tem deixado muitos pais de “cabelo em pé”, uma vez que, dependendo da frequência e da intensidade este hábito pode gerar um som bastante alto, dando a impressão que os dentes estão se quebrando ou se moendo.

Também conhecido por bruxismo ou briquismo, o ranger de dentes pode ocorrer tanto em adultos como em crianças e quando não tratado, pode gerar consequências como: desgaste do esmalte dos dentes gerando sensibilidades, quebra de restaurações, mobilidade dos dentes (os dentes podem ficar moles), dores de cabeça, zumbido no ouvido, entre outros.

Dentre as várias causas do bruxismo na infância, destacamos os fatores emocionais e os fatores relacionados ao crescimento e desenvolvimento.

Os fatores emocionais geralmente estão relacionados ao uso excessivo de computadores e vídeo games, ao sedentarismo infantil (falta de atividades físicas), a alimentação inadequada, a cobrança excessiva nas escola e a baixa qualidade do sono, que geralmente ocorrem em crianças que dormem com televisão “do quarto” ligada. Falando em televisão, vários são os trabalhos científicos publicados sobre os efeitos danosos que desenhos violentos causam nas crianças.

Os fatores relacionados ao crescimento e ao desenvolvimento se dão pelo conjunto de transformações que a criança sofrendo pela influência dos hormônios de crescimento, que geram uma ebulição de transformações envolvendo o corpo e a face (dentes, óssos e músculos), onde o ranger dos dentes pode se dar pela readaptação neuromuscular frente a este desenvolvimento.

O tratamento do bruxismo, costuma ser bem tranquilo, partindo de um diagnóstico aprofundado, que no caso de crianças é recomendado que seja realizado pelo especialista em odontopediatria e a partir daí, é realizado um tratamento restaurador reparador, se houver o comprometimento de algum dente, e na sequência pode ser feito um aparelho protetor para que não ocorra maiores danos.

No bruxismo, bem como nos demais problemas dentários, a prevenção é sempre a melhor e a mais barata opção. Portanto não perca tempo e agende uma visita com um odontopediatra.

Por Dr Paulo Coelho, Especialista e Mestre em Ortodontia e pós graduado em A.T.M. e Dor Orofacial pela Escola Paulista de Medicina

Veja também:

Fique atualizado!

Cadastre o seu e-mail para receber gratuitamente dicas para melhorar sua saúde bucal:

Comments are closed.

Deixe uma resposta